ABRAIDI participou do Fórum de Ética Empresarial para DMIs da APEC

ABRAIDI participou do Fórum de Ética Empresarial para DMIs da APEC

ABRAIDI participou do Fórum de Ética Empresarial para DMIs da APEC

Encontro foi realizado em Santiago do Chile e reuniu países membros e convidados, como o Brasil, Suíça, Uruguai, entre outros

O diretor-executivo da ABRAIDI, Bruno Bezerra, esteve em Santiago do Chile, nos dias 9 e 10 de setembro, para participar do Fórum de Ética Empresarial para DMIs da APEC. A Cooperação Econômica Ásia-Pacífico – APEC, sigla em inglês – é uma entidade internacional de 21 países-membros localizados no Círculo do Pacífico, que visa promover o livre comércio e a cooperação econômica em toda a região da Ásia-Pacífico, mas que também reúne nações convidadas, como o Brasil. 

Bezerra esteve presente nos debates sobre as perspectivas e desafios dos distribuidores, em relação também aos programas de ética e integridade. Participaram da mesa com o diretor da ABRAIDI, Michelle Wagner da Austrália, Eduardo Del Solar do Chile, Ma Ensheng da China, e Omar Neyra do Peru.
“O problema dos prazos de pagamento foi bastante comentado pelo representante do Chile. Assim como na Argentina e no Brasil, os distribuidores sofrem com atrasos. Detalhamos a questão da retenção de faturamento e os dados obtidos com o estudo ‘O Ciclo de Fornecimento de Produtos para Saúde no Brasil’”, contou Bezerra. O diretor da ABRAIDI propôs, pela importância, que a discussão seja feita também no âmbito da APEC e da Coalizão Interamericana de Ética porque os atrasos representam uma janela para a corrupção e problemas éticos com os distribuidores.
Os presentes ainda ressaltaram a necessidade de envolver os compradores na discussão do compliance. O representante do Peru comentou que os governos poderiam começar comprando apenas de quem tem programas de compliance. “Lembrei que, no Brasil, é preciso trazer os hospitais e operadoras para a mesa e discutir isso”, completou Bruno Bezerra.
Outro tema debatido foram os modelos de contratos entre fabricantes e distribuidores. “É necessário que os distribuidores façam contratos com os clientes incluindo questões chave como condições de fornecimento e de pagamento. O suporte dos fabricantes é vital para fortalecer a ação e evitar problemas de ética no setor”, afirmou o diretor da ABRAIDI.
Ainda foram discutidas questões envolvendo programas de compliance, forma de uso de materiais e treinamentos, certificação, entre outros.

Foco nas empresas de pequeno e médio portes

Os integrantes do Fórum de Ética Empresarial para DMIs da APEC reforçaram a ética no setor de saúde em apoio a pequenas e médias empresas e pacientes, com o lançamento de um documento de consenso para melhorar as interações éticas nos sistemas de saúde. O acordo permitirá que as partes signatárias, incluindo indústria, profissionais de saúde, grupos de pacientes e governos, trabalhem juntas alinhando os códigos de ética uns dos outros nas melhores práticas, pesquisa, treinamento e elaboração de políticas.
Em 2019, um levantamento revelou que 87 associações da indústria de dispositivos médicos e biofarmacêuticos na região da APEC possuem códigos de ética, envolvendo mais de 20 mil empresas, a maioria de pequeno e médio porte.
“Quando nivelamos o campo de jogo por meio de práticas comerciais éticas, garantimos que os melhores produtos ganhem licitações. Ao mitigar a ameaça de corrupção ao progresso, ao comércio e à economia global, garantimos que as decisões sejam tomadas no melhor interesse dos pacientes e dos DMIs”, disse o subsecretário para o Comércio Internacional do Departamento de Comércio dos EUA, Gilbert Kaplan.
“O Fórum ganha força com todos os segmentos - governos, profissionais de saúde, grupos de pacientes e empresas, grandes e pequenas. Convidamos todos, a se unirem nessa abordagem colaborativa para tornar a região da APEC mais saudável e mais próspera”, disse a presidente do Grupo de Trabalho para PMEs da APEC, Evan Holley.


Fonte: Assessoria de Imprensa Doc Press

Galeria de Fotos
Voltar